domingo, 31 de dezembro de 2017

classe docente foi aldrabada pelo segundo ano consecutivo - por Benedito Estêvão Machipane

SELO: 
PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Vozes - @Hora da Verdade
Escrito por Redação  em 31 Dezembro 2017
Share/Save/Bookmark
Ilustres EDITORES, desejo-vos boas SAÍDAS e ENTRADAS. Mais uma vez, venho com esta pobre lamentação para a nossa classe docente que foi aldrabada pelo segundo ano consecutivo. Assim seja, gostaria de estender esta Lamentação para quem de direito.
Excelências
O Ministério da Educação é dos mais satânicos, pois, o PAI da mentira é o Satan e parece viver nos corações de muitos governantes. Têm chefes ou governantes mentirosos o que não dignifica a nenhum educador. O nosso Ministério é de mentira ou, é para comissários políticos. Burladores. Porquê fazem isso? Pouca vergonha ou excesso de confiança? O pior ainda, é a dita ONP, que de Sindicalismo nada tem. É braço "literário" dos governantes e não da classe. Tenho pena das cotas pagas nesta agremiação. Parece o dízimo de algumas igreas que conhecemos... Desculpem mas é a verdade, exposta por tais "chefes" de coração de pedra e satânicos.
Senhores dirigentes ou governantes, como adorais ser chamados, estais conscientes mesmo? Lembrai-vos do que custa o DESENVOLVIMENTO?
Os docentes da cidade capital, não receberam o dinheiro de horas extras em dívida de setembro de 2016. O ano fecha hoje. Vocês são a verdadeira maldade em carne e osso. São os Satânicos em "full time" e com horas extras. Obrigadão pela vossa "mentira".
Até as próximas ELEIÇÕES e, não nos procurem e nem incomodem-nos p extorquir nossos votos sinceros. Fiquem de longe à espera... Mais uma vez... Boas entradas GOVERNO e Ministério da... "Burlação".
Boas saídas e boas entradas a todos, incluindo os satânicos, que JEOVÁ abençoe!
Por Dytus Machy (Benedito Estêvão Machipane)

Libéria: Ex-craque de futebol mundial, George Weah ganha eleição presidencial


  • Redacção VOA

George Weah
O processo foi elogiado por observadores.
George Weah, antigo astro mundial de futebol, foi declarado vencedor da eleição presidencial da Libéria.
A comissão de eleições deste país, anunciou, hoje, 28,que Weah obteve 61.5 por cento de votos, contra 38.5 por cento do seu rival Joseph Boakai.
Na primeira volta desta votação, Weah obteve obteve a maior votação, com 38,4% dos votos. Boakai ficou em segundo lugar com 28,8%.
O processo foi elogiado por observadores.
Jogador do PSG e do Milan AC, na década de 1990, George Weah sucederá, em finais de janeiro, a presidente Ellen Johnson Sirleaf, na primeira transição democrática daquele país em mais de 70 anos.
Johnson cumpriu dois mandatos, o máximo que a constituição da Libéria permite. Ela foi a primeira mulher africana no posto de presidente.

domingo 31 dezembro 2017



Atacantes de Mocímboa da Praia estão activos, reconhece governador


  • Ramos Miguel

Mocímboa da Praia
Comandante da Polícia tinha dado o prazo de uma semana para se renderem
O Governo moçambicano assume que o grupo de homens armados que tem estado a atacar Mocímboa da Praia, na província de Cabo Delgado, ainda não se desactivou, apesar do prazo de uma semana dado pelo Comandante-Geral da Polícia, para se entregar às autoridades.
Na segunda-feira, 25, o governador provincial de Cabo Delgado, Júlio Parruque, deslocou-se a Mocímboa da Praia, onde constatou que a ordem foi restabelecida, mas os atacantes dispersaram-se, apesar de muitos deles terem sido detidos.
Aquele responsável afirmou que "os grupos que criaram pânico e desestabilizaram a ordem em Mocímboa da Praia, na sua maioria, foram capturados, mas outros dispersaram-se e as forças de defesa e segurança estão no encalço desses indivíduos".
Refira-se que no passado dia 14, o Comandante-Geral da Polícia, Bernardino Rafael, apelou à rendição às autoridades dos autores dos ataques a Mocímboa da Praia e arredores.
Entretanto, alguns analistas associam o surgimento deste grupo de atacantes e de outras manifestações de violência ao actual estado social moçambicano, em que muitas pessoas se queixam de injustiças na distribuição da riqueza nacional.
Outros consideram que, no caso de Mocímboa da Praia, os ataques visam fazer com que as autoridades policiais e/ou militares centrem as suas atenções naquela região, negligenciando as zonas ricas em recursos minerais, como é o caso de Namanhumbir, onde actuam grupos poderosos, muitos dos quais idos de fora de Moçambique.
Várias outras análises têm sido feitas relativamente a esta situação, mas o presidente do Partido para a Paz, Democracia e Desenvolvimento-PDD, Raúl Domingos, reitera que se isto ocorre porque há uma mão interna metida nisso.

Empresário somali diz que corpos encontrados em Sofala são de etíopes com passaportes somalis


  • Redacção VOA

Mais quatro corpos foram encontraosem Cheringoma
As autoridades da província de Sofala, em Moçambique, descobriram mais quatro corpos nas proximidades do distrito de Cheringoma, onde foram encontrados 13 corpos abandonados no dia 23 de Dezembro, informaram fontes da Procuradoria Provincial.
Entretanto, um membro da comunidade somali em Sofala disse à VOA que, segundo informações preliminares, os 13 corpos encontradas na terça-feira, 26, apontam para etíopes que portavam passaportes da Somália.
Os novos corpos estavam nas matas do distrito de Maríngue e ainda é desconhecida a nacionalidade destas pessoas, de acordo com fontes da Procuradoria Regional da Sofala citadas pelo jornal O País.
Ontem, fontes da VOA no local disseram que as autoridades suspeitam que os 13 corpos encontradas anteriormente são de cidadãos de nacionalidade somali, que terão morrido num contentor.
Hoje, Abdi Fatah, empresário e membro da comunidade somali em Nampula, disse ao serviço somali da VOA da que “tentamos descobrir a identidade exacta dessas pessoas mortas e tivemos a informação que a maioria delas eram etiopes com passaportes da Somália. Mas a comunidade tenta ainda confirmar se havia somalis no grupo e quantos eram”.
A perícia, que incluiu os sectores de Saúde, Serviço de Investigação Criminal e a Procuradoria Geral da Republica, deslocou-se ao local na terça-feira, 26, para a recolha de amostras e dados para a investigação do caso, que já tem um processo aberto na procuradoria provincial de Sofala.

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.